9 de dezembro de 2013

a golpada que impôs o António Parada como candidato do PS em Matosinhos

Estou cansada de ouvir o argumento de que a escolha do Parada foi democrática.

Não é verdade!!!

Em Matosinhos não houve directas e o António Parada foi indicado candidato oficial do PS à Câmara Municipal de Matosinhos por uma deliberação da Comissão Política Concelhia de Matosinhos, deliberação essa que foi tomada sem que fosse tornado público e divulgado por todos os militantes do PS Matosinhos o início do processo para a escolha do candidato a Presidente da Câmara.

Pelo que houve quem impugnasse tal deliberação e pedisse a suspensão da sua execução...

Porém, o sr Presidente da Comissão Federativa de Jurisdição da FDP do PS – Emanuel Teixeira - pura e simplesmente ignorou os argumentos invocados pelo impugnante, indeferiu a impugnação à revelia dos regulamentos, por pretensa falta de legitimidade e não fez seguir para a Comissão Nacional de Jurisdição o pedido de suspensão da execução da deliberação em causa apesar de a isso estar obrigado pelo Regulamento Processual e Disciplinar do PS.

Infelizmente, na altura o militante que tinha feito a impugnação adoeceu e esteve internado mais de 3 semanas correndo grave risco de vida, pelo que não teve a possibilidade de continuar com o processo e levá-lo até ao Tribunal Constitucional, se no PS não lhe dessem razão, e a nomeação do Parada para candidato a Presidente da Câmara foi assim branqueada...

Para a história aqui ficam publicadas a Impugnação da Deliberação, o Pedido de Suspensão da Execução dessa Deliberação e a "douta" resposta do Presidente da Comissão Federativa de Jurisdição da F D P do P S à Impugnação apresentada


IMPUGNAÇÃO DA DELIBERAÇÃO 
































PEDIDO DE SUSPENSÃO DA EXECUÇÃO DA DELIBERAÇÃO



















A "DOUTA" RESPOSTA AO PEDIDO DE IMPUGNAÇÃO






Sem comentários: