29 de novembro de 2013

6ª "crónica de uma expulsão previamente anunciada" ou "crónica de um processo de intenções"


Na crónica anterior publiquei a nota de culpa e o relatório a ela associado que, no dizer do relator continham a acusação que me é feita e respectiva fundamentação.
A acusação efectivamente lá estava. Fundamentação é que nem vê-la!!!
Tive que explicar aos doutos senhores/as da Comissão Federativa de Jurisdição da FDP/PS que num processo disciplinar o ónus da prova recai sobre quem acusa e não sobre o arguido .
Depois convém que quem acusa saiba o que está a fazer e cumpra as regras estabelecidas para a elaboração de um processo disciplinar... pois se não o fizer poderá ver o processo anulado!
Sem mais comentários... deixo-vos a minha defesa  









2 comentários:

Querubim disse...

É profundamente lamentável ver órgãos institucionais de um partido que se diz democrático alinharem numa palhaçada destas. Mas pelo menos ficamos todos a saber que quem é responsável, a nível distrital, pelo cumprimento e aplicação dos regulamentos do PS se dá ao luxo deles fazer tábua rasa...

Para a história fica assim registada mais uma manobra de manipulação dos resultados eleitorais nas eleições internas do PS, pois de todo este processo sobressai que que fez a participação e pediu a suspensão preventiva e expulsão da Otília foi um dos candidatos às eleições internas da concelhia de Matosinhos que se vão realizar já no próximo mês. Está visto que o sr Presidente da Comissão Politica Concelhia de Matosinhos recorreu a esta jogada suja para afastar desse acto eleitoral um adversário político e é vergonhoso que os órgãos distritais tenham alinhado em tal jogada...

Otília Gradim disse...

Querubim, não seria o caso para dizer : perdoi-lhes senhor que eles não sabem o que fazem