23 de novembro de 2011

CHAPÉUS HÁ MUITOS!!

Manuel dos Santos publicou no seu facebook este comentário:
o que me levou a dar-lhe esta resposta:

"Com todo o respeito que me merecem as pessoas, não posso deixar de lhe responder ao seu comentário. Tal como afirma, a Comissão Politica Nacional tem toda a legitimidade para decidir abster-se no OE de 2012… mas o Sr. não tem nenhuma legitimidade para vir criticar os deputados que, em seu nome pessoal decidiram apresentar uma declaração de voto.
Porque é que eu entendo que não tem legitimidade para criticar os deputados que se abstiveram no respeito pela disciplina de voto que apresentaram a declaração de votos?... é simples! António José Seguro, na votação do OE de 2011 (último orçamento da responsabilidade do PS), apresentou declaração de voto. Aquando da votação do referendo ao Tratado Europeu António José Seguro votou de forma diferente do restante grupo parlamentar evocando objecção de consciência para tornear a disciplina partidária. Assim, no uso da sua liberdade de consciência, os deputados que agora tanto critica teriam legitimidade para votar contra o OE 2012, evocando razões de consciência muito mais justificáveis que as que estavam em causa quando AJS votou em sentido contrário ao grupo parlamentar e nessa altura a discordância tinha sido muito menor pois apenas houve 7 votos contra.
A divulgação das declarações de voto é um imperativo democrático de quem as apresenta para que sejam do conhecimento dos seus eleitores. Aliás elas são públicas e podem ser consultadas no site da Assembleia da República
Na sua opinião publicada pode-se ainda ler algumas aberrações. A primeira delas é a divulgação das contas do PS, tema que entendo deveria ser restrito ao interior do partido. A sua publicação para além de errónea é péssima para a imagem do PS. Não contente com esta aberração ainda decide [com fundamentação duvidosa] inferir que a situação financeira da distrital do Porto é em tudo semelhante à situação financeira do PS Nacional e isto só para poder lançar mais uma pedra aos deputados eleitos pelo ciclo do Porto que apresentaram declaração de voto.
Eu, que não o conheço pessoalmente mas que vou lendo e ouvindo o que por aí vai afirmando, sou tentada a acreditar que tem um ódio de estimação ao Porto… quer à cidade quer aos seus clubes… como o demonstra a sua afirmação "com excepção de um ou outro, os adeptos doFCPorto (são todos burros) têm um baixo nível de Q.I.!!!"” confesso que não fizemos uma comparação de QIs e como tal não sei o valor do seu. Uma coisa porem é certa: - no que toca ao QIE o Sr. não me parece que dê provas de o ter.
No entanto sou obrigada a concordar com esta sua afirmação “Tudo é legitimo até um certo ponto, mas depois é preciso dizer que basta.” Só não entendo que não aplique a si os chavões que prega, aos outros pois este BASTA ter-lhe ia servido na perfeição no que respeita a este assunto."

Curiosa foi a reacção de Manuel dos Santos... não contra argumentou ou contrariou o que foi escrito… apagou o comentário e para justificar essa sua atitude publicou:  
Não vou exigir ao Sr. que saiba o que é a liberdade de expressão ou os conceitos básicos de democracia… deixo para os outros a avaliação da sua atitude. 

17 de novembro de 2011

PALAVRAS PARA QUÊ?... É UM ARTISTA PORTUGUÊS

REVISÃO CONSTITUCIONAL PARA QUÊ?

António José Seguro considera que o facto de o PSD ter deixado cair a revisão constitucional foi uma vitória do PS. Não podia estar mais em desacordo! Deixar cair a revisão constitucional não é uma vitória do PS e é mesmo uma derrota pessoal de António José Seguro.
Que necessidade tem o PSD de fazer uma revisão constitucional se Passos Coelho faz letra morta do texto da Constituição com a conivência do Secretário Geral do PS?

11 de novembro de 2011

6 de novembro de 2011

5 de novembro de 2011

UMA ABSTENÇÃO SUICIDA


Não concordo com a abstenção do PS no Orçamento de Estado para 2012.
Este OE é altamente ideológico. Nele está vertida toda a agenda ideologia ultra liberal do PSD. Trata-se de uma agenda ultra liberal que não é perceptível para o cidadão comum que prima pela despolitização, desinformação e afastamento da vida política partidária… tratando-se por isso de uma agenda oculta para a grande maioria dos portugueses.
À despolitização / desinformação do cidadão português soma-se a presença exagerada no nosso quotidiano dos média que de forma militante contribuem para a criação de um pensamento único onde todas as medidas deste governo que nos desgoverna surgem como inevitáveis e disseminam o medo… ou é isto ou é o fim.
Portugal parece estar a passar por um momento bíblico… onde uns fariseus [estes senhores do governo que nos desgoverna e arruína] escolhem um Cristos [a função publica e pensionistas] para crucificar e o PS assume o papel de Pilatos [que lava as mãos deste OE]
O PS ao abster-se na votação deste OE, que e porque é profundamente ideológico, coloca-se na posição de não se apresentar e não ser uma alternativa.
 Esta abstenção vai condenar o PS a ficar afastado do poder e de inclusivamente desaparecer aos olhos do eleitorado como alternativa.
Com esta abstenção, mesmo afirmando que é um mau orçamento e que não concorda com ele, o PS está implicitamente a admitir que este orçamento, apesar de seguir por um caminho tortuoso e injusto, nos poderá tirar da crise em que estamos, pelo que António José Seguro está a "colocar a cabeça no cepo" ao lado da do Passos Coelho e, em caso de falha, as duas cabeças rolarão...
Assim não posso aceitar que o PS opte pelo suicídio político e obrigue os Socialistas a esquecerem os seus valores

4 de novembro de 2011

HISTÓRIAS DO CARÁCTER (OU DA FALTA DELE)



Em 2008, e após uma AG da AI Portugal, apareceu um post no blogue de António Eloi Pereira Azevedo…. com uma descrição completamente falsa do que havia sido dito.
O que lá era escrito não só era falso como também visava ofender e difamar as pessoas envolvidas.
Não é ainda neste post que será divulgada a queixa e a retractação desse senhor, porque tenho que aguardar a entrega da acta onde o arguido António Eloi se RETRACTA… mas dela irei dar publicidade neste blogue.
Nunca fiz publicidade deste caso porque o direito se faz prevalecer nos tribunais e sem que sobre as pessoas se coloquem qualquer tipo de pressões.
Agora que o processo está concluído e sem possibilidade de recurso porque o arguido optou por RETRACTAR-SE em vez de ser julgado, já me sinto à vontade para comentar o que silenciei durante 3 anos porque não há hipótese de recurso.
Hoje vou analisar o comportamento de Carlos Alberto Ferreira e do seu envolvimento neste processo.
Assim, em 2008 o António Eloi escrevia no seu blogue “Já tinha instruído o meu advogado para iniciar o processo de queixa-crime contra 4 trogloditas homofobos do núcleo de Matosinhos que estiveram presentes na Assembleia Geral, dado que as intervenções dos 4machotes do núcleo de Matosinhos da AI, responsabilizando todo o mesmo, são punidos pelo Código Penal.”
Ora os 4 membros presentes na AG foram Querubim Reisinho, Otília Gradim, Américo Freitas e Carlos Alberto Ferreira. É exactamente sobre este último, Carlos Alberto Ferreira, que vou expor o seu carácter ou ,se preferirem, a sua falta de carácter.
Foi numa reunião do nosso núcleo da AI o Carlos Alberto nos trouxe ao conhecimento as mentiras, ofensas e difamações que eram escritas pelo António Eloi no seu blog "Insignificante".. blogue que mais ninguém do Núcleo conhecia.
A situação foi por nós discutida e decidiu-se agir judicialmente, tendo os 4 visados por esse blog decidido apresentar queixa individual do comportamento do António Eloi. Mais tarde, e por causa das custas do processo, o Carlos Alberto decidiu não apresentar queixa.
Sobre isto o mesmo escreveu no seu blogue o que se pode ler na imagem





.
.
.
.
.
.
.
..
.
.
.
.

...
.
.
.
.
.
.
.
.
.
..
.
.
.
Mais tarde, e fruto de uma discussão politica, o Carlos Alberto Ferreira desferiu-me um ataque criminoso, mas sobre isto não falarei a não ser depois do julgamento que está marcado para Janeiro de 2012.
O que é que eu acho relevante nisto?... é simples.
Primeiro ele é ofendido e difamado porque lhe são feitas acusações falsas, ofensivas e difamatórias.
Segundo decide não apresentar queixa por questões económicas o que é legitimo.
Terceiro declara-se publicamente solidário com os que agiram judicialmente contra António Eloi como faz prova o post por si escrito.
Quarto quando Carlos Alberto Ferreira foi por mim processado por difamação, apaga o post que a imagem identifica e oferece-se para testemunhar a favor de António Eloi.
A conclusão deste processo é extremamente curiosa pois o arguido António Eloi, para se safar ao julgamento, oferece-se para se RETRACTAR e, concomitantemente com a sua retratação, aceita a imposição dos queixosos de doar 500 € à Associação de Surdos de Apoio a Surdos de Matosinhos.
Ontem o mesmo Carlos Alberto escreveu no facebook que tinha estado a defender a Liberdade de Expressão… curioso!!...
Que Liberdade de Expressão é que ele estava a defender se o arguido se retratou do que tinha escrito?... não saberá ele o que quer dizer RETRACTAR-SE?... é evidente que não sabe!... e que precisa de se desculpar publicamente pelas suas falhas de carácter.



3 de novembro de 2011

PENSAMENTO DO DIA

"Apenas o tempo revela o homem justo; basta um dia para pôr a nu um pérfido."
Sófocles

Esta citação ocorreu-me hoje à saída do Tribunal de Matosinhos onde António Eloi Pereira Azevedo compareceu como arguido em três crimes de difamação qualificada.