27 de julho de 2011

A EUROPA PODE SER UM LOCAL PERIGOSO

7 comentários:

Carlos II disse...

"A Europa pode ser um local perigoso"

- Pode. E subscrevo a ideia dos cúmplices do marxismo cultural e da noção não religiosa do cristianismo cultural. São temas muito interessantes e que ninguém tem a coragem de os abordar devido ao dogma do politicamente correcto.

Os povos da Europa sentem que algo está mal, mas preferem desabafar no interior de suas casas, porque públicamente têm receio de as suas ideias serem conotadas com a extrema-direita ou fascizantes (no caso de Portugal, isso ainda é mais sintomático, porque existe o síndroma da ditadura ainda muito próximo). É por isso, salvaguardando, um ou outro exemplo, que os partidos de direita não proliferam na Europa. Assumem-se geralmente de centro-direita. Aqueles que vão para além disso, são encostados na àrea nacionalista, xenófola ou neo-nazi. Cá está, o preconceito político marxista-cultural que se fala.

É um assunto que levava um dia para ser debatido dado o emaranhado de assuntos que estão inter-ligados.

Quanto ao resto dos argumentos de Breivik e que fala Rogeiro, há ali muita salada-russa, mas muitas realidades dispersas e complexas.

Beij

Carlos II disse...

Otília,

O "Cherne" não foi educado no marxismo-leninismo?
Agora multiplica por milhares de "chernes" que nos dirigem na Europa, cuja cultura marxista se inscreveu nos seus ideais políticos. Claro que hoje se encostaram ao partidarismo socialista e social-democrata para andarem na crista da onda. Outros, continuam a ser mais coerentes, mas comem e vestem-se bem. É a nova-esquerda. A esquerda-caviar. Mas já há desistências. Miguel Portas.

Otília Gradim disse...

Carlos,

não temos um povo europeu... a xenofobia sempre esteve e estará na cabeça de muitos europeus. Este é o caso de um fanático que é doido que o que o torna mais perigoso que qualquer outro fanático é o facto de ter um projecto que já provou ser capaz de o executar.

bjs

Carlos II disse...

"não temos um povo europeu"
Não me digas!!! Os povos de origem indo-europeia já desapareceram todos? Afinal o caso é muito mais grave do que eu pensava.

Otília Gradim disse...

Carlos,
o que quis dizer é que temos povos/nações e não povos/europa... neste momento o que temos é cada povo/nação a defender os seus interesses sem pensar no projecto europeu.

Carlos II disse...

Pronto, está bem! Não batas mais no céguinho.
Devia ter dito...Os povos da Europa que estão divididos em nações.
Mas o que eu me referia era o europeu( homem )comum.

Otília Gradim disse...

;)* eu é que escrevi como se estivesse no facebook ;))