18 de julho de 2011

A PIOR DE TODAS AS GUERRAS

"O genocídio (independentemente de como for definido), os assassínios em massa de menor dimensão e as outras forma de eliminação fazem parte de um continuum e, muitas vezes, os perpetradores usam vários meios eliminacionistas conjugados entre si. Assim, tratar o genocídio como um fenómeno qualitativamente diferente, descontinuo em relação às outras formas de eliminação em massa, além de ser conceptualmente insustentável, viola a realidade da politica e prática eliminacionistas."  

Eliminacionismo: transformação, repressão, expulsão, prevenção de reprodução, exterminação 

13 de julho de 2011

DOS AFECTOS

“Repugna-me a ideia de que é possível transformar a vida política num imenso magma de afectividade, porque isso é a redução e a destruição da política. A política não é a dimensão do afectivo, isso é outra dimensão das nossas vidas.”
Francisco Assis, 
10 de Julho de 2011 


A política consiste em civilizar o emocional e impedir a instrumentalização das paixões; transforma o sentir em actuar e atribui responsabilidades onde elas faltavam ou onde só havia imputações genéricas."
Daniel Innerarity,
in O Novo Espaço Públic

Post "roubado" do blogue: OLHO DE GATO
de Joaquim Alexandre Rodrigues

UMA PÉROLA

3 de julho de 2011

Coelho e Portas estão num jantar em S. Bento.
Um dos convidados aproxima-se deles e pergunta-lhes:
- De que é que estão conversando de forma tão animada?
- Estamos fazendo planos para uma grande guerra na nossa democracia - diz Coelho.
- Uau!', exclama o convidado. E quais são esses planos?
- Vamos lixar 10 milhões de portugueses e um brasileiro, responde Portas.
O convidado parece confuso e pergunta: - Um.... brasileiro? Por que é que vão lixar um brasileiro?
Portas dá uma palmada nas costas de Coelho e exclama:
- Não te disse? Ninguém vai perguntar pelos portugueses!