8 de março de 2011

"Humilhação, precariedade, maus-tratos conjugais, prostituição, criminalidade, desemprego, sexismo: as mulheres são sempre as primeiras vítimas. Pior, existem no nosso país zonas de sombra onde as mulheres vivem em estado de subordinação total, senão mesmo de escravidão, nas comunidades de imigrantes onde os costumes desafiam a lei. As crianças do sexo feminino podem frequentar a escola da Republica, mas são excisadas, usam véu, são casadas à força, violadas nas suas escolhas mais íntimas. Para estas raparigas, como para outras, o exemplo da França e sobretudo dos países escandinavos prova que só a lei e a sua impregnação no tecido social podem melhorar o destino das mulheres."

"No resto do mundo, mais de metade da humanidade, homens e mulheres, vivem no sofrimento. O sofrimento de ser pobre, de se estar mal alimentado, doente, de se ser iletrado, explorado. Mas é o sofrimento de se ter nascido mulher que lhe agrava todos os outros. Em todo o lado, a condição das mulheres mostra-nos a face mais negra das realidades contemporâneas. Elas são, simplesmente, inferiores. Impuras. Merecem apenas ser subjugadas, exploradas, espancadas, violadas, compradas, repudiadas. Nasceram para escravas. Votadas ao silêncio, ao esquecimento. Desprezíveis, em suma, indignas."

Chistine Ockrent
.

Sem comentários: