31 de dezembro de 2010

2011



★* 。 • ˚ ˚ •。★ FELIZ ANO ★ 。* 。* 。*
° 。 ° ˚* _Π_____† *˚★ 。* 。*。 • ˚ ˚ •。★
˚ ˛ •˛•*/______/~\。˚ ˚ ˛★ 。* 。*★ 。* 。*
˚ ˛ •˛• | 田田|門| ˚Feliz 2011 !!!...
_____________________________________________


28 de dezembro de 2010

A FALTA DE RIGOR DESACREDITA AS NOTICIAS

A falta de rigor, entre muitas outras coisas, incomoda-me!
Bem isto a propósito da notícia publicada pelo Sol com o título: Benzeno expelido em Matosinhos é 'atentado ao ambiente e à saúde pública'
 Confesso que inicialmente fiquei preocupada… depois li as declarações do Narciso Miranda e as declarações do Vinha de Costa e passou-me a preocupação!...
… apesar de a notícia poder ter algum fundamento.
Então o que me levou a desacreditar a noticia?...
Em primeiro lugar foi a falta de rigor da notícia… que a meu ver a desacredita e me leva a crer ser um recado encomendado exactamente pelos mesmos que gostariam de ver a Câmara numa situação ingovernável. Foi exactamente por isso que o Vinha da Costa propôs a retirada da confiança política ao vereador Guilherme Aguiar… não lhe retirou a confiança política porque alguma vez lha tivesse dado, mas para cumprir a sua própria agenda política.
Fui muito crítica acerca da candidatura de Guilherme Aguiar, mas a verdade é que ele assumiu a sua responsabilidade ao viabilizar um executivo camarário do partido mais votado. Pode-se não gostar do partido ou da pessoa que ganha as eleições… mas o voto é soberano.
Quando uma notícia afirma “Já Pedro da Vinha Costa, presidente do PSD de Matosinhos e ex-candidato à liderança da câmara,”… só prova a falta de credibilidade da notícia. Vinha da Costa gostaria de ter sido o candidato, mas não foi!... e se alguma vez vier a ser iremos ver o resultado.
Em segundo lugar foram as afirmações dos intervenientes que desacreditaram a notícia, se não vejamos:
Vinha da Costa: “recordou que «a refinaria já lá existe há dezenas de anos e o PS, primeiro com Narciso Miranda e depois com Guilherme Pinto, deixou que em cima da refinaria fossem construídas habitações, colocando pessoas em risco»”
É evidente que a refinaria já lá estava e que todos sabiam que de lá não sairia… o que não se percebe é como o Vinha da Costa responsabiliza o actual presidente de câmara quando toda a construção de vulto e envolvente da refinaria tem mais de 10 anos de construção.
Ocorre-me perguntar quem efectivamente colocou as pessoas em risco, foi quem lá construiu ou foi quem lá comprou? Autorizar a construção foi um erro mas erro muito maior foi comprar os andares naquela zona. Não acredito que Vinha da Costa não conheça o “Livre arbítrio”. Se as pessoas quiseram comprar casas com varandas para a refinaria e pagaram esse “luxo” a peso de ouro… quererá agora que as pessoas sejam indemnizadas pelos riscos que assumida e conscientemente quiseram correr?.. havia de ter graça!...
… É que o risco já lá estava as pessoas foram para lá porque quiseram.
Narciso Miranda: “ «Considero extremamente grave que já tenham passado quase seis meses depois das últimas medições e ainda seja preciso esperar se calhar outros tantos meses para accionarem-se eventualmente medidas que acabem com uma situação que tem a ver com o facto de cidadãos estarem a respirar benzeno»” estas afirmações de Narciso Miranda não passa de isso mesmo…  afirmações e declarações sem sentido. Afinal foi no seu mandato que os projectos foram aprovados e foi ele que criou a falsa expectativa de a refinaria poder vir a sair daquele local.

20 de dezembro de 2010

12 de dezembro de 2010

ASSIM, NÃO!!!


Pelo que se pode ler na CONVOCATÓRIA, o presidente da Mesa da Assembleia Geral de Militantes da secção de Matosinhos prova não estar preparado para as funções que desempenha. E com isso põe em causa o funcionamento democrático da secção de Matosinhos e impede os militantes de participarem.
Antes de tudo levanta-se uma questão legal pois a convocatória não está redigida para que, não havendo quórum à hora marcada (e a secção de Matosinhos tem um elevado número de militantes), se possa efectuar a Assembleia em segunda convocatória seja qual for o número de militantes presentes.
Se como legalista considero este ponto impeditivo da realização da própria Assembleia não é contudo essa a parte que mais me incomoda, pois:
Apesar de à hora marcada não estarem presentes os membros da mesa…  apesar de à hora marcada não haver quórum…  apesar de não haver sido feita a segunda convocatória e, portanto, não haver condições legais para que a Assembleia se realizasse fosse qual fosse o número de militantes presente… o presidente da mesa, sem que a mesa eleita estivesse presente e sem que a assembleia se pronunciasse, fez sentar mais dois militantes na mesa… ficando assim a mesa constituída (4 elementos) ao arrepio da lei… e, apesar de devidamente alertado para a violação estatutária e legal a que estava a proceder, realizou a Assembleia.
O presidente da mesa mostrou deste modo um profundo desrespeito pelos estatutos do Partido Socialista bem como um profundo desprezo pela Lei.
Como se o desprezo pelos estatutos do PS e da lei não fossem suficientes, o sr presidente da Mesa da Assembleia de Militantes mostrou ainda um profundo desrespeito pelos militantes do Partido Socialista ao convocar uma Assembleia-geral de Militantes para as 13:30H do dia 12 de Dezembro (Domingo)
É evidente que a hora e o dia escolhidos foram para dificultar de forma objectiva a participação dos militantes, pois todos sabemos que o Domingo é para muitos o único dia da semana em que podem almoçar em convívio com a sua família…


.