15 de novembro de 2010

AS ACESSIBILIDADES EM MATOSINHOS

Era minha intenção ter comparecido no “Workshop sobre «Acessibilidade e Mobilidade para Todos»”… mas como não sei o que o significado de “Workshop” tive medo das consequências… não sou fã dos inglesismos.
Segundo o que a noticia da CMM transcreve, o Vice Presidente da câmara terá dito:
 “No dia-a-dia, há pequenos obstáculos no acesso a coisas que normalmente damos por garantidas. Só nos apercebemos desses obstáculos quando passamos por esse drama ou quando um familiar nosso se encontra nessa situação”
Apesar de não ter nenhum familiar com dificuldades de mobilidade… circulo pela cidade, não deixando de reparar nos atentados à mobilidade das pessoas portadoras de deficiência e a pessoas com dificuldade de mobilidade sem que caiam na tipificação de deficientes.
Assim, decidi alertar através do meu blogue… já que alertar o Vice Presidente por email seria uma perda de tempo e não obteria qualquer resposta... 
Na Rua Brito e Cunha encontra-se este atentado à mobilidade
















É evidente que esta situação tem anos e que não é da responsabilidade deste executivo… mas estando o Vice Presidente tão sensibilizado para a mobilidade na cidade… urge que a resolva prontamente.  
.

5 comentários:

guimaraes disse...

Tens toda a razão Otília.
isto que descreves existe, e não só, muito mais, e não hà que culpar o executivo A, B ou C, o último é sempre o responsável.
Como exemplo, tens um terreno que vendes ao Sr A, que este depois vende ao s.r B, por sua vez este vende ao s.r C, se houver uma coima por qualquer razão, o s.r C é que tem que assumir.
Mas Matosinhos tem muito mais que era preciso acudir em vez de distribuir subcídios milionários,
vê as passadeiras para peôes como elas estão ou não existem,que são a salvaguarda dos deficientes, dos invisuais, das crianças , dos idosos,Fiz uma chamada de atenção numa teunião da Cãmara no dia 23-01-2010,sobre a falta de uma paasadeira num entrocamento em Custóias, em que o passeio termina contra uma casa antiga, assim como a habitação que foi última daquela senhora que é um monumento impar na poesia, e continua em degradação.
Respondeu o S.r Presidente que já tinha tudo isso em agenda, já lá vai quase um ano...tudo como dantes....E se falássemos de toponímia?bastava por por os olhos por exemplo na cidade do Porto ou Povoa de Varzim,

até sempre
bijs

Otília Gradim disse...

Guimarães,

A critica que faço é porque não chega ter projectos é preciso conhecer a realidade da cidade.
Há pequenas intervenções que podem e devem ser feitas... aqui o primeiro responsável são os proprietários e o segundo responsável o município porque não fiscaliza e quando é denunciado não actua.
Estranho que este muro esteja assim desde que foi construído e ninguém tenha reparado nele... ou melhor... ninguém tenha feito nada!
Este problema foi levantado e denunciado há 3 anos na Assembleia de Freguesia de Matosinhos.

bjinhos

Américo de Castro Freitas disse...

A eleminação das barreiras arquitectónicas foi um a das bandeiras da candidatura do actual PC. No entanto, julgo que podia ter feito mais do que o que fez.

Otília Gradim disse...

Américo,

Acredito que agora façam estas pequenas correcções... mas a ver vamos.

bjs

a.leitão disse...

Vamos lá "arredondar" um velho provérbio:
"Água mole em cabeça dura, tanto dá até que fura"
...
Não é extensível aos humanos nos tempos que atravessamos, sobretudo se forem políticos.