19 de agosto de 2010

CHAPELADAS E CHAPELEIROS



Todos os códigos estabelecem prazos e alguns até dizem como se faz a contagem desses prazos. Todas as Leis dizem a partir de quando entram em vigor. Nos estatutos dos partidos políticos também podem ser estabelecidos prazos para que se adquira o direito de votar e ser eleito. É o caso do Partido Socialista que estabelece um prazo de seis meses após ser admitido como militante. Assim quem entra para o PS deve conhecer os seus estatutos e saberá que só poderá votar e ser eleito, para qualquer órgão do PS, após ter decorrido um prazo de seis meses sobre a data da sua admissão, data essa que aparece sempre no seu cartão de militante.
.
Neste momento, dois candidatos disputam a Federação Distrital do Porto: Renato Sampaio, que termina o mandato anterior, e o José Carneiro que é presidente da CMB.
.
Numa disputa eleitoral é normal que os candidatos façam a sua campanha e que expliquem ao que vêm. Até aqui nada de novo. É o procedimento usual em qualquer partido democrático. O que já não é aceitável, é o recurso a este tipo de estratégia que está a ser usada, pela qual se procura por em causa a honorabilidade dos candidatos. Esta estratégia, que já é velha, está a ser usada e é fratricida. Não percebi se o responsável por esta estratégia a que assistimos é o José Carneiro ou se são alguns dos seus apoiantes que, por oportunismo, despeito, ou para parecer que existem politicamente, a ela recorrem, mesmo que façam figuras ridículas e exponham a sua falta de formação… mas é preciso que se mostrem mais papistas que o papa para agradar ao seu candidato, na procura de garantir, para o futuro, uma melhor posição nas listas ou no grupo de influencia. Só assim se entende este e este post’s.
.
Há alguma razão que fundamente estes post’s?... Não! Na verdade quem sabe o que se passa facilmente percebe que os post’s só vêm expor e desacreditar o seu autor. O autor foi candidato à coordenação da secção de Leça do Balio contra um outro militante apoiado pela actual federação e perdeu… em vez de perceber que em democracia é tão natural perder como ganhar eleições… ficou ressabiado! 
.
Os estatutos foram respeitados e há um determinado número de militantes que ainda não têm direito a voto nestas eleições internas. Só que quem sabe como funciona o caciquismo e o arrebanhamento de votos facilmente percebe que alguém tentou esta “chapelada”, como o autor lhe chama, mas falhou. Assim, ficaram os mais informados a saber que foram inscritos militantes para votarem de acordo com o pretendido pelos seus proponentes… mas que a “chapelada” falhou. 
.
Mais valia estarem calados e não continuarem a conspurcar e a fragilizar a candidatura do José Carneiro com estes processos que servem os seus interesses pessoais de protagonismo mas não dignificam o candidato.
.

24 comentários:

Carlos Alberto disse...

Otilia

Escreves, uma vez mais, sobre o que não sabes. Mandas uns palpites acompanhados de uns considerandos que pretendem diminuir quem queres "atacar". Não te fica bem. Como não sabes os motivos que levam o JP a escrever o que escreve, não é razão para "caires em cima dele". Só por absoluta ignorância, podes escrever o que escreves.
Ele foi e é um militante que na sua secção deu imenso. Foi apenas o Presidente da Mesa da Assembleia de Freguesia. Quanto às últimas eleições para a secção, abstenho-me de mais comentários, porque ele, melhor que eu te pode explicar o que aconteceu.
Por aqui me fico, porque o que escreves é grave demais para me merecer mais considerandos e isto porque mantenho, ainda, algum respeito por ti.

Carlos Alberto Ferreira

Otília Gradim disse...

Carlos,

(Não voltes a dizer o que me fica ou não fica bem… é que a única coisa que não me fica bem são os sapatos de tacão alto)

Qualquer pessoa que conheça os estatutos do Partido Socialista sabe que há um período de seis meses, após ser admitido como militante, durante o qual não pode votar ou ser eleito para qualquer órgão do PS. Não tem nada que saber… [dando o meu exemplo, se a data de admissão é 1 de Março, só posso votar em eleições internas que se realizem a partir do dia 2 de Setembro, inclusivo].

Sobre erros de datas de admissão, só quem não percebe o básico é que escreve o que foi escrito. Por outro lado só vem para a praça pública discutir actos administrativos, querendo-os transformar em questões políticas, quem precisa de estar sempre em bicos de pés. No meu caso atrasaram a minha entrada um mês…não só não escrevi sobre isso como não vim para a praça pública acusar as pessoas de desonestidade ou segundas intenções. É evidente que muitos gostariam que não tivesse entrado, assim como houve quem ficasse ofendido por eu não ter aceite ter proponentes para a minha adesão. Na vida não vou para onde me querem levar, só vou para onde eu quero ir!!… não tenho fidelidades, tenho ideais. Sobre o processo do JP sei mais do que quereria saber… imagina que até sei que ele queria concorrer à secção, mas queria concorrer com o apoio do presidente da CPC… como não o conseguiu, avançou sozinho… contou com o teu apoio!... bem bom! Afinal há quem ache que ser coordenador de uma secção é um lugar importante.

Sobre o ter sido Presidente da Mesa de uma Assembleia de Freguesia [desculpa, mas aqui tive que me rir] é de facto um trabalho político de alta relevância… para ele! É que a esmagadora maioria dos matosinhenses está-se a borrifar para isso…tal como eu!

O João Lourival também foi presidente da mesa de uma Assembleia de Freguesia e acabou expulso do PS… e seguramente o João, politicamente, vale 100 vezes mais do que o JP.

Sobre o respeito que dizes ter por mim… o que é que te posso dizer sobre ele?... será que pensas que por ter alguma consideração por ti te vou deixar de dizer o que penso da tua actuação politica? Não vou! Já te disse isto uma vez e digo-te uma segunda e última vez.

A estima [não lhe chamo amizade porque apesar de ter muitos amigos eu levo muito, mas muito a sério a amizade] não me impedira de te dizer o que penso da tua actuação política e da maneira como procedes politicamente…aliás é raro estar do mesmo lado em que te encontras politicamente. Por isso, da próxima vez que me responderes, não evoques amizade, consideração, respeito, ou qualquer outro sentimento, pois isso nada tem a ver com as opiniões que expresso… tenta só não usares palavrões que ditos verbalmente não me chocam mas escritos menorizam o discurso.

Otília Gradim Reisiho

Carlos Alberto disse...

Otilia

Volto a dizer que escreves sobre o que não sabes e desconheces.
O resto do relambório tem de ser visto á luz de quem escreve na qualidade de Cristão-Novo.
No momento oportuno, se quiseres obter respostas para as tuas "certezas absolutas"terei todo o gosto em as esclarecer.
Quanto à importancia do cargo de coordenador, faz-me cá uma diferença no final do mês, que nem imaginas.

Carlos Alberto Ferreira

Otília Gradim disse...

Carlos,

Essa do Cristão-Novo fez me rir!... será que no PS a antiguidade também é posto?... pensei que a antiguidade só era critério na tropa.

Não estamos a brincar ao jogo da cadeira… aí é que quem se senta primeiro fica com o lugar. É isso que entendes por antiguidade?...

Preocupava-me era se dissesses que também quero um emprego na Câmara ou ser Presidente de Junta… afinal a minha única “ilegitimidade” é ser recente no PS?... ainda bem! É sinal que não estou comprometida com actos vergonhosos que foram levados a efeito por membros do PS em Matosinhos.

É bom para mim saber que não tenho dessas nódoas no meu passado político.

O lugar de coordenador não te faz diferença no fim do mês mas é através dele que esperas vir a ser candidato à Junta de Guifões… e isso já poderá fazer diferença no fim do mês…

Se há respostas que pensas serem importantes é a altura de as explicares publicamente!... afinal é na praça publica que gostam de tratar as questões do PS

Otília Gradim Reisinho

Carlos Alberto disse...

"O lugar de coordenador não te faz diferença no fim do mês mas é através dele que esperas vir a ser candidato à Junta de Guifões… e isso já poderá fazer diferença no fim do mês…"

Otilia, isto fica-te mal e deveria-te envergonhar. Eu não preciso do ordenado de Presidente de junta, porque o meu vencimento é superior a isso, como aliás sempre o disse.
O facto de pensar, ou não, numa putativa candidatura, que ainda vem longe, e ter compartilhado esses pensamentos, com quem julgava que me poderia aconselhar e ver essas conversas privadas assim expostas, diz tudo de quem as escreve.
Fique aqui o aviso aos mais incautos. LAMENTAVEL. LAMENTAVEL.

Reafirmo que esta tua cruzada tem de ser vista á luz de quem escreve na qualidade de Cristão-Novo.

Bem dizia a minha avô Cecilia que nunca deveria-mos discutir com a criadagem, pois ficamos sempre a perder.

Carlos Alberto Ferreira

Otília Gradim disse...

Carlos,

Ao contrário de ti eu não falo de conversas privadas.

O que eu afirmo resulta da leitura política que é tão banal, tão banal que qualquer um a pode fazer. Quem são os candidatos às Juntas de Freguesia?... são ou não [em regra geral] os coordenadores de secção?...

Aliás, se queres falar da conversa que tiveste comigo, deves também dizer que eu considerei legitimo vires a ser o candidato mas que para isso deverias voltar a ser coordenador da secção… esta conversa foi tida na altura em que por motivos que não serei eu a tornar públicos te demitiste de coordenador.

Este teu comentário “Bem dizia a minha avô Cecília que nunca deveria-mos discutir com a criadagem, pois ficamos sempre a perder.” é curioso ser feito por alguém que se diz socialista. É evidente que entre nós há uma diferença de classe social… basta conhecer as origens de cada um. Sim!... é verdade que, na minha infância, havia “criadas” na minha casa. O que a mim me espanta e choca é que um socialista menospreze a “criadagem”!! O que vem provar que também aqui divergimos politicamente!! Tenho o maior respeito por quem serviu a minha família… já não tenho o mesmo respeito por quem explorava os mais pobres e lhes atribuía a designação de “criados” ou “criadagem”… mas afinal as classes sociais mais desfavorecidas (de onde és oriundo e te devias orgulhar de ser) necessite de se afirmar como superior a quem, por falta de alternativa, servia os mais endinheirados.

Se é verdade que o teu salário é superior a um presidente de junta, isso não invalida que, depois de eleito, vejas a tua situação ao fim do mês beneficiada… basta que cumpras o mandato a tempo parcial.

Otília Gradim Reisinho

joaquim paulo silva disse...

A Srª faz afirmações que me ofendem ao nível pessoal. E tem caracter judicial.
Sugiro que retire o post, pois caso contrário terei de ponderar acção judicial. Passe bem e não incomode.

Otília Gradim disse...

Joaquim Paulo,

O post continua!
O que está expresso neste post é a minha opinião.
Pelo que, se entende que deve agir judicialmente, faça o favor!

Otília Gradim Reisinho

Carlos Alberto disse...

Otilia

pelo nível a que chegas-te, não vale a pena gastar cera com tão fraco defunto. Tenho pena, de ti e das tristes situações em que te colocas.

Otília Gradim disse...

Carlos,

À falta de argumentos políticos escreves o que escreves... é pouco!!
Afinal tens aspirações políticas para as quais aparentas não ter a capacidade necessária.
Queres dar um passo largo mas faltam-te as pernas.
Os comentários que teces sobre as tristes situações em que me coloco… levam-me a ponderar seriamente se fazes alguma ideia do que dás a entender que és? … Aparenta-se-me que quem anda a fazer tristes figuras não sou eu

Otília Gradim Reisinho

joaquim paulo silva disse...

Na verdade a senhora não percebe mesmo o que escreve? A senhora faz comentários sobre mim, não de política, de onde me conhece???
Quem é a senhora para tal???
A possibilidade de um processo judicial não é uma ameaça, é uma análise que será feita, por alguém, pois o seu blog atacou me pessoalmente não fez análise politica. E por isso lhe pergunto outra vez o que a move contra uma pessoa que não conhece? E quem é a senhora para dar lições alguém?
A senhora ataca baixo, não retira o post e alegre acha que lhe fica bem...tonterias graves.

joaquim paulo silva disse...

"O João Lourival também foi presidente da mesa de uma Assembleia de Freguesia e acabou expulso do PS… e seguramente o João, politicamente, vale 100 vezes mais do que o JP."

Continua sem jeito a Srª...O que é isto? Novo insulto? Também quer que eu seja expulso do PS? Compara, pessoas com percursos inconparáveis?
A senhora está perdida...insultos sobre insultos, fel sobre fel...destila fel...minha senhora pare porque motivo para processo judicial já tem de sobra...

Otília Gradim disse...

Joaquim Paulo,

Estive a ler os seus dois comentários e confesso que me senti tentada a não lhe responder… não faz sentido estar-lhe a explicar o que por formação académica devia saber.
Quem aqui e no blogue do Carlos Alberto demonstra que não percebe o que lê ou então percebe, mas precisa de se justificar, é o JP.
Assim, e antes de mais, devo-lhe dizer que a sua hipótese de me mover uma acção judicial me animou a tarde. Fico à espera de ser notificada.
Quando escreveu o primeiro post [grave] eu deixei passar, mas quando li o segundo considerei que devia dizer alguma coisinha. Assim escrevi “É absolutamente ridículo o que escreve.”… ora, se percebesse o que lê, teria percebido que eu não lhe chamei ridículo a si mas ao que escreveu… que é coisa bem diferente!
Não sei se é do excesso de iodo que Matosinhos tem, mas há uma parte significativa de pessoas que não diferenciam um ataque pessoal de uma critica, mesmo que dura, ao que escrevem… ou então é o seu enorme umbigo que as leva a querer que tudo seja pessoal... talvez para justificarem a sua insignificância de mortais.
No seu primeiro comentário escreveu “A possibilidade de um processo judicial não é uma ameaça, é uma análise que será feita, por alguém, pois o seu blog atacou me pessoalmente não fez análise política.” o que me fez rir!... primeiro, não tenho medo de ameaças, pelo que as pode fazer; segundo, adoro tribunais pelo que agradeço o processo; terceiro, espero que quem vá ler o post seja capaz de perceber o que lê…
Afirma que não o conheço, o que é verdade, pelo menos não o conheço o suficiente para o julgar… mas isso não impede que formule juízos sobre o que escreve! Se não o conheço porque lhe faria um ataque pessoal?... Acha-se assim tão importante?.. Fiz-lhe foi uma critica para a qual não parece ter argumentos…
Não me vou pronunciar sobre a altura das críticas que faço… até porque eu sou não sou alta (fico-me pelo 1,61m de altura) e não gosto que se descrimine por alturas.
No seu segundo comentário mais uma vez não percebe o que lê… Na comparação que fiz entre si e o João Lourival [por quem tenho consideração e lamento que as confusões em que se meteu que levaram à sua expulsão] visava comparar o “peso político” de ambos, e em circunstância nenhuma defendi a sua expulsão… aliás, se percebesse o que lê e conhecesse os estatutos do PS, saberia que não haveria qualquer fundamento para tal! E, ao contrário do que diz, não é um insulto. É antes uma comparação inadequada, pois o João Lourival, politicamente, nunca se lhe podia comparar.
Acaba o seu comentário com uma frase extraordinária “A senhora está perdida...insultos sobre insultos, fel sobre fel...destila fel...minha senhora pare porque motivo para processo judicial já tem de sobra...”
Adorei a expressão “A senhora está perdida”… sabe, é que é difícil perder-me, já que o meu telemóvel tem GPS. Não há qualquer insulto na comparação com o João Lourival!... mas se houvesse, era o João que tinha o direito de se sentir insultado por ter sido comparado consigo e nunca o contrário.
É do senso comum que não se ameaçam as pessoas sem se ter a certeza de poder concretizar as ameaças… é que ou se faz figura de parvo ou se mostra ignorância.

Otília Gradim Reisinho

Otília Gradim disse...

Um texto delicioso para ser lido.

http://cadsf.blogspot.com/2010/08/chapeleira-em-jeito-de-resposta.html

joaquim paulo silva disse...

Cara Senhora:


Não me importo que me compare com quem quiser, porque o tenho feito na minha vida fala por mim: vários livros publicados (6 ao todo), docente, fundador de várias associações, director de revistas e grupos culturais, profissional da area social, interventor na vida politica, etc. Para mim o que fiz é de per si bastante e muito envolvente principalmente no plano intelectual e do envolvimento civico.
De modo que, respeitando o João Lourival, não trocaria o meu percurso pelo dele.
Eu leio bem os seus textos e ao contrário do que diz pode conter matéria de difamação, leia atentamente percorra e veja. Pois quando afirma coisas que não são verdade sobre mim...o que se chama a isso? Difamar..depois seria de analizar o conteúdo ao pormenor.
No seu discurso continua a pautar uma pseudo supeioridade moral sobre mim e outras pessoas que não faz sentido e ninguém precisa, nem a senhora de utilizar.
Os meus argumentos sobre os assuntos que fala já o expus noutros contextos e não estou interessado em discuti -los consigo. Não tem nada a haver. Afirma que pedi apoio ao Presidente da Concelhia, agradecia que me desse uma prova, porque é mais uma inverdade...poderá dizer eu falei, abordei o assunto, mas nunca o que disse, bom o que chama a isso?
Ataca-me pelo post que coloquei, mas também não conseguiu produzir argumentação contraria suficiente, não basta dizer o que os estatutos dizem, é preciso perceber porque as datas não são cumpridas pelos intervenientes e por isso impedem militantes de votar, sejam eles quem forem, é aqui que está a questão, não adianta fugir cara senhora...

Otília Gradim disse...

Joaquim Paulo,

De facto hoje em dia publica-se tudo e mais alguma coisa!... é por isso que cada vez sou mais exigente nos livros que compro.

Não disse que pediu o apoio ao presidente da CPC... disse-me que queria o seu apoio!... é coisa bem diferente! Está provado que não percebe o que lê? Deixo-lhe o que escrevi “imagina que até sei que ele queria concorrer à secção, mas queria concorrer com o apoio do presidente da CPC” sabe quem me disse? Foi o JP que me disse por isso se estou a mentir estou a mentir pela sua boca.

Estou desiludida!...
Não me vai processar?!
Lamento!
Seja coerente e processe!!!… ainda gostava de ver a queixa ser aceite com os argumentos que usa.

Afinal não sei que pensar... será que fez figura de parvo ou mostrou ignorância?
Fez-me lembrar o caso da providência cautelar por causa da Av. Serpa Pinto.

Só duas notas:
Nada tenho a ver com a candidatura do Renato Sampaio, não faço parte da sua lista de apoiantes e não estive em nenhuma acção promovida por ele.
Só uma informação:
Não perco nada se por hipótese o JL Carneiro for eleito, SERÁ QUE PODE DIZER O MESMO??

Otília Gradim Reisinho

joaquim paulo silva disse...

Sabe continua a arvorar-se de modo altaneiro, na verdade eu falei dos apoios concelhios e até distritais na altura da candidatura e também disse que não contava com eles e iria à luta mesmo sem eles. Coisa que duvido a Senhora o fizesse, porque vejo muita verbe e pouca acção. E fui. Não ganhei...mas ganhei a minha consciência e não tive medo de perder nada porque nada tenho.
Depois continua a usar conversas pontuais deslocalizadas, para atacar o que é feio, tentando não sei descredebilizar, mas não. Nem percebo porque diz isso. Porque eu estive de corpo e alma com o Guilherme Pinto na campanha, apesar de ter sido afastado das listas todas, e estive aonde muita gente não esteve...portanto natural perceber, até porque fazia parte da concelhia a sua receptividade à minha candidatura à secção, e foi o que fiz, mas sem sorte. Muito bem, o que tem de mal?

Livros:
Bom é muito feito dizer o que diz, não é a senhora que põe também em causa a minha longa carreira intelectual e profissional...passo em frente.

Processar:

Processos por difamação não são incomuns, a matéria de direito e de facto é que tem de ser analisada, mas como diz o meu amigo Carlos Alberto é perder tempo, com alguém que não vale esse tempo.

Vantagens do meu apoio a JLC:

As mesmas que tenho hoje, uma carga de trabalhos por apoiar pessoas e causas, nada mais.

Passe bem que eu não conto passar mais por aqui, nem por si.

Otília Gradim disse...

Joaquim Paulo,

Acredite que nunca faria o que fez e muito menos o que faz! As minhas posições politicas foram e serão sempre assumidas em função do que está em causa... e nunca para alimentar o ego ou pequenas vaidades. Elas são frontais e leais e a intriga politica não é o meu estilo!... o que tenho a dizer digo a cara das pessoas e nunca por trás. Quer os meus amigos quer os meus inimigos sabem que quando atiro uma pedra não escondo a mão.

Sobre o processo... dizer que não vale a pena é patético!... se não valia a pena não avançava com a ameaça!

Só me ocorre este comentário: Perdoai-lhes Senhor, eles não sabem o que dizem.

Carlos Alberto disse...

Primeiro escreves este insulto:
"O lugar de coordenador não te faz diferença no fim do mês mas é através dele que esperas vir a ser candidato à Junta de Guifões… e isso já poderá fazer diferença no fim do mês…"

Depois apercebendo-se da baixeza em que caíste, das-lhe a volta e reescreves o argumento dando-lhe outro sentido:

"Quem são os candidatos às Juntas de Freguesia?... são ou não [em regra geral] os coordenadores de secção?...
Aliás, se queres falar da conversa que tiveste comigo, deves também dizer que eu considerei legitimo vires a ser o candidato mas que para isso deverias voltar a ser coordenador da secção…"

Mas não consegues controlar-te e lá voltas à carga:
"Se é verdade que o teu salário é superior a um presidente de junta, isso não invalida que, depois de eleito, vejas a tua situação ao fim do mês beneficiada… basta que cumpras o mandato a tempo parcial."

Ou seja sou culpado na reflexão que fazes, de ser putativo candidato devido ao lugar e de ser um "malandro" que se quiser aumentar os meus rendimentos só ter de seguir os teus conselhos.

Quanto ao resto e pela novela que aqui acompanho a revelação de conversas privadas é prata da casa. Que fique o aviso à navegação...Eu depois da história da ida ao CP, já devia estar mais avisado.
A partir daqui não escreverei mais nada sobre este triste assunto.

Carlos Alberto Ferreira

joaquim paulo silva disse...

Sabe : Patética é a senhora que não faz política, incendeia!
Eu sou o mais frontal possível e digo-lhe aqui como cara a cara:

O PS não precisa de pessoas perigosas, traiçoeiras e maledicentes como a Senhora e deixe de me tratar por Joaquim Paulo, pois o nome não está ao dispor de alguém que não respeita a dignidade de outrem, como a senhora faz nomeadamente ao Carlos Alberto, aproveitando-se de conversas particulares e na base da confiança e expondo-as isso é doença.

Otília Gradim disse...

Carlos,

Ao contrário de ti eu não insinuo, não insulto, não mando indirectas... chamo "os bois" pelos nomes!

Não te dei conselhos!... se os conselhos fossem bons eram vendidos e não dados!

Quando referi a questão do vencimento do presidente de junta foi para responder à tua afirmação “Quanto à importância do cargo de coordenador, faz-me cá uma diferença no final do mês, que nem imaginas.”…
É que comigo “anjinhos” só nas procissões e nem aí gosto deles!

Mas vamos lá escalpelizar o que transcreves:

"O lugar de coordenador não te faz diferença no fim do mês mas é através dele que esperas vir a ser candidato à Junta de Guifões… e isso já poderá fazer diferença no fim do mês…"

"Quem são os candidatos às Juntas de Freguesia?... são ou não [em regra geral] os coordenadores de secção?...
Aliás, se queres falar da conversa que tiveste comigo, deves também dizer que eu considerei legitimo vires a ser o candidato mas que para isso deverias voltar a ser coordenador da secção…"

"Se é verdade que o teu salário é superior a um presidente de junta, isso não invalida que, depois de eleito, vejas a tua situação ao fim do mês beneficiada… basta que cumpras o mandato a tempo parcial."

Algumas destas minhas afirmações são mentiras?

O que te incomoda nestas verdades?... será o facto de no teu “jogo politico”ser fácil de perceber os teus objectivos?... Só tens uma solução! Deixa de estares em bicos de pés e talvez o teu “jogo político” seja tão óbvio!

Otília Gradim Reisinho

Otília Gradim disse...

Joaquim Paulo,

Desculpe, esqueci o Silva...

Quando o Carlos Alberto respondeu neste post e como ele não foi que escreveu os post’s em causa… pensei que tinha uma procuração sua para o vir defender. Mais tarde percebi que não tinha uma procuração sua mas que estava a sentir as suas dores… coisa que estranhei!... mas cada um sente as dores que quer.

Ao ler a sua última resposta fiquei a pensar que afinal é o Silva que tem uma procuração do Carlos Alberto para o vir defender… e ainda por cima faz referências a conversas privadas... não porque delas tenha conhecimento mas por ouvir dizer!… Olhe que nem tudo que se diz é verdade!
O Carlos Alberto faz essas referências à falta de argumentos políticos e porque não gosta de saber que o seu “jogo politico” é demasiado óbvio!

Se eu revelasse conversas privadas… nem imagina o que eu tinha para dizer!!

A doença que me diagnosticou… não será um crime de usurpação de funções?...O Silva tem um curso de medicina?... ou é um simples curandeiro?

Otília Gradim Reisinho

Américo de Castro Freitas disse...

Queridos amigos, conhecidos e putativos clientes. Não se esqueçam que sou advogado e um trabalho, mesmo que pequeno, é sempre benvindo. Consultem-me. Resultados garantidos. Preços módicos e sem concorrência.

Otília Gradim disse...

Américo,

O teu sentido de humor vale ouro!!

bjinhos