31 de dezembro de 2010

2011



★* 。 • ˚ ˚ •。★ FELIZ ANO ★ 。* 。* 。*
° 。 ° ˚* _Π_____† *˚★ 。* 。*。 • ˚ ˚ •。★
˚ ˛ •˛•*/______/~\。˚ ˚ ˛★ 。* 。*★ 。* 。*
˚ ˛ •˛• | 田田|門| ˚Feliz 2011 !!!...
_____________________________________________


28 de dezembro de 2010

A FALTA DE RIGOR DESACREDITA AS NOTICIAS

A falta de rigor, entre muitas outras coisas, incomoda-me!
Bem isto a propósito da notícia publicada pelo Sol com o título: Benzeno expelido em Matosinhos é 'atentado ao ambiente e à saúde pública'
 Confesso que inicialmente fiquei preocupada… depois li as declarações do Narciso Miranda e as declarações do Vinha de Costa e passou-me a preocupação!...
… apesar de a notícia poder ter algum fundamento.
Então o que me levou a desacreditar a noticia?...
Em primeiro lugar foi a falta de rigor da notícia… que a meu ver a desacredita e me leva a crer ser um recado encomendado exactamente pelos mesmos que gostariam de ver a Câmara numa situação ingovernável. Foi exactamente por isso que o Vinha da Costa propôs a retirada da confiança política ao vereador Guilherme Aguiar… não lhe retirou a confiança política porque alguma vez lha tivesse dado, mas para cumprir a sua própria agenda política.
Fui muito crítica acerca da candidatura de Guilherme Aguiar, mas a verdade é que ele assumiu a sua responsabilidade ao viabilizar um executivo camarário do partido mais votado. Pode-se não gostar do partido ou da pessoa que ganha as eleições… mas o voto é soberano.
Quando uma notícia afirma “Já Pedro da Vinha Costa, presidente do PSD de Matosinhos e ex-candidato à liderança da câmara,”… só prova a falta de credibilidade da notícia. Vinha da Costa gostaria de ter sido o candidato, mas não foi!... e se alguma vez vier a ser iremos ver o resultado.
Em segundo lugar foram as afirmações dos intervenientes que desacreditaram a notícia, se não vejamos:
Vinha da Costa: “recordou que «a refinaria já lá existe há dezenas de anos e o PS, primeiro com Narciso Miranda e depois com Guilherme Pinto, deixou que em cima da refinaria fossem construídas habitações, colocando pessoas em risco»”
É evidente que a refinaria já lá estava e que todos sabiam que de lá não sairia… o que não se percebe é como o Vinha da Costa responsabiliza o actual presidente de câmara quando toda a construção de vulto e envolvente da refinaria tem mais de 10 anos de construção.
Ocorre-me perguntar quem efectivamente colocou as pessoas em risco, foi quem lá construiu ou foi quem lá comprou? Autorizar a construção foi um erro mas erro muito maior foi comprar os andares naquela zona. Não acredito que Vinha da Costa não conheça o “Livre arbítrio”. Se as pessoas quiseram comprar casas com varandas para a refinaria e pagaram esse “luxo” a peso de ouro… quererá agora que as pessoas sejam indemnizadas pelos riscos que assumida e conscientemente quiseram correr?.. havia de ter graça!...
… É que o risco já lá estava as pessoas foram para lá porque quiseram.
Narciso Miranda: “ «Considero extremamente grave que já tenham passado quase seis meses depois das últimas medições e ainda seja preciso esperar se calhar outros tantos meses para accionarem-se eventualmente medidas que acabem com uma situação que tem a ver com o facto de cidadãos estarem a respirar benzeno»” estas afirmações de Narciso Miranda não passa de isso mesmo…  afirmações e declarações sem sentido. Afinal foi no seu mandato que os projectos foram aprovados e foi ele que criou a falsa expectativa de a refinaria poder vir a sair daquele local.

20 de dezembro de 2010

12 de dezembro de 2010

ASSIM, NÃO!!!


Pelo que se pode ler na CONVOCATÓRIA, o presidente da Mesa da Assembleia Geral de Militantes da secção de Matosinhos prova não estar preparado para as funções que desempenha. E com isso põe em causa o funcionamento democrático da secção de Matosinhos e impede os militantes de participarem.
Antes de tudo levanta-se uma questão legal pois a convocatória não está redigida para que, não havendo quórum à hora marcada (e a secção de Matosinhos tem um elevado número de militantes), se possa efectuar a Assembleia em segunda convocatória seja qual for o número de militantes presentes.
Se como legalista considero este ponto impeditivo da realização da própria Assembleia não é contudo essa a parte que mais me incomoda, pois:
Apesar de à hora marcada não estarem presentes os membros da mesa…  apesar de à hora marcada não haver quórum…  apesar de não haver sido feita a segunda convocatória e, portanto, não haver condições legais para que a Assembleia se realizasse fosse qual fosse o número de militantes presente… o presidente da mesa, sem que a mesa eleita estivesse presente e sem que a assembleia se pronunciasse, fez sentar mais dois militantes na mesa… ficando assim a mesa constituída (4 elementos) ao arrepio da lei… e, apesar de devidamente alertado para a violação estatutária e legal a que estava a proceder, realizou a Assembleia.
O presidente da mesa mostrou deste modo um profundo desrespeito pelos estatutos do Partido Socialista bem como um profundo desprezo pela Lei.
Como se o desprezo pelos estatutos do PS e da lei não fossem suficientes, o sr presidente da Mesa da Assembleia de Militantes mostrou ainda um profundo desrespeito pelos militantes do Partido Socialista ao convocar uma Assembleia-geral de Militantes para as 13:30H do dia 12 de Dezembro (Domingo)
É evidente que a hora e o dia escolhidos foram para dificultar de forma objectiva a participação dos militantes, pois todos sabemos que o Domingo é para muitos o único dia da semana em que podem almoçar em convívio com a sua família…


.

22 de novembro de 2010

TRANSPARÊNCIAS DA ALMA


ETERNIDADE 
.
Era Primavera
E as magnólias vestiam-se de ternura
Havia cheiro de canela na tua presença
E sombras de danças no teu caminhar
Ao longe
Rodopiavas-te
E abraçavas a minha forma de loucura
Porque dizias
Que o meu juízo tinha sido feito para te embriagar
Estendias o brilho dos teus olhos
Pelas ruas que percorrias
E mesmo sem ver a tua face
Sei que sorrias
Trazias brinquedos da infância na mão direita
E eu, sem qualquer suspeita,
Acreditava que eram para mim
Os sinos tocaram só para os teus passos
E no vestido que desenhava o teu corpo
Estavam desenhados tantos laços
Que o teu corpo parecia não ter fim
Na tua outra mão trazias um cravo
Da cor da nossa liberdade –
Vermelho, como os de Abril
Lançaste-o ao ar
E ele coloriu toda a cidade
Gritaste o teu nome
E a multidão, assustada, veio às janelas
Às portas
Para o meio da rua
E formou uma fila brilhante e sadia
Beijaste o céu
E nele escreveste o meu nome
Mas depois, aos poucos, viste-me morrer
Depositaste as magnólias, os brinquedos e o cravo da liberdade
Sobre o meu peito
O meu ser começava a ficar desfeito
Mas aprendeste o meu nome
Eternidade.
.


.

20 de novembro de 2010

DOIS APONTAMENTOS DO LIVRO "O LÍDER SEDUTOR"

do livro de CLARA PRACANA
"O LÍDER SEDUTOR"

“Em toda a parte as multidões são femininas (…)
Uma vez que as multidões apenas conhecem sentimentos simples e extremos, recusam ou aceitam em bloco as opiniões, crenças ou ideias que lhe são sugeridas e consideram-nas como verdades absolutas ou como erros não menos absolutos. Isto acontece sempre com crenças determinadas pela sugestão e não pelo raciocínio (…).
O autoritarismo e a intolerância constituem, para as multidões, sentimentos muito claros que elas suportam tão facilmente como põem em prática. Respeitam a força e a bondade impressiona-as pouco, pois consideram-na como uma espécie de fraqueza. As suas simpatias nunca têm como objecto as personalidades brandas, mas os tiranos que as dominam.
(Le Bon, 1895/n.d pp.29, 36 e 37)”


“As pessoas não precisam de acreditar em todas estas mentiras, mas têm de proceder como se acreditassem,ou pelo menos tolera-las em silêncio, ou dar-se bem com quem trabalha com base nelas. Por essa razão, no entanto, devem viver dentro da mentira Não precisam de aceitar a mentira. Basta-lhes ter aceite viver na mentira. Desta forma, os indivíduos ratificam o sistema, preenchem o sistema, fazem o sistema, são o sistema.
(Havel 1991.p.36, itálico no original)”
.

15 de novembro de 2010

AS ACESSIBILIDADES EM MATOSINHOS

Era minha intenção ter comparecido no “Workshop sobre «Acessibilidade e Mobilidade para Todos»”… mas como não sei o que o significado de “Workshop” tive medo das consequências… não sou fã dos inglesismos.
Segundo o que a noticia da CMM transcreve, o Vice Presidente da câmara terá dito:
 “No dia-a-dia, há pequenos obstáculos no acesso a coisas que normalmente damos por garantidas. Só nos apercebemos desses obstáculos quando passamos por esse drama ou quando um familiar nosso se encontra nessa situação”
Apesar de não ter nenhum familiar com dificuldades de mobilidade… circulo pela cidade, não deixando de reparar nos atentados à mobilidade das pessoas portadoras de deficiência e a pessoas com dificuldade de mobilidade sem que caiam na tipificação de deficientes.
Assim, decidi alertar através do meu blogue… já que alertar o Vice Presidente por email seria uma perda de tempo e não obteria qualquer resposta... 
Na Rua Brito e Cunha encontra-se este atentado à mobilidade
















É evidente que esta situação tem anos e que não é da responsabilidade deste executivo… mas estando o Vice Presidente tão sensibilizado para a mobilidade na cidade… urge que a resolva prontamente.  
.

9 de novembro de 2010

UM NOME

Di-lo-ei pela cor dos teus olhos
pela luz
onde me deito,
di-lo-ei pelo ódio, pelo amor
com que toquei as pedras nuas,
por uns passos verdes de ternura,
pelas adelfas,
quando as adelfas nestas ruas
podem saber a morte,
pelo mar
azul,
azul-cantábrico, azul-bilbau,
quando amanhece,
di-lo-ei pelo sangue
violado
e limpo e inocente,
por uma árvore,
uma só árvore, di-lo-ei:
Guernica!



Eugénio de Andrade
Poesia e Prosa
[1940-1979]
.

30 de outubro de 2010

AUSÊNCIA


exaure-se a vitalidade do templo
em crenças inibidoras.
o tempo escorre, a alma cai.
ilesa? só a tristeza em chuva.

mas não há arrependimento.

apenas orgulho. indestrutível!
como achas de lenha em lareiras,
consumindo a paciência do divino.

o mito é humano!
o rito é comum!

no refundar do quotidiano fingido.


VICENTE FERREIRA DA SILVA
.

10 de outubro de 2010

VITÓRIAS EXEMPLARES

Camaradas, alcançamos 46% (4700 votos) e a outra candidatura (5500 votos) 54%, pela confiança que transmitiram e pelo empenho neste projecto que agora começa, o Meu Muito Obrigada! Conto consigo!

José Luís Carneiro





9 de outubro de 2010

ATENTADO CONTRA A DEMOCRACIA

Pensei que a partir de ontem não voltaria a falar da vergonhosa campanha que foi a de JLC. Não podia estar mais enganada!! A campanha de JLC envergonhou muitos e a mim particularmente. Não gosto de falta de verticalidade, de seriedade e de ética na política. Hoje recebi esta mensagem. Senti uma revolta extraordinária. Nenhum democrata faz ou tem atitudes como esta. Se isto acontecesse numa campanha eleitoral para as legislativas, europeias, autárquicas ou presidenciais era considerado crime e punido pela nossa legislação eleitoral.

EU VOTO A

Mensagem de Renato Sampaio Vencemos as eleições para a Federação Distrital do Porto do PS nas eleições mais participadas de sempre! Conquistámos 12 das 18 Concelhias, com excelentes resultados por todo o distrito. Obrigado a todos os que se empenharam neste PS Porto Positivo! Agora, ao trabalho!


8 de outubro de 2010

AO QUE ISTO CHEGOU...



Esta mensagem não é um insulto à inteligência dos militantes do PS?... na minha opinião, é!!
É mesmo um atentado ao LIVRE ARBÍTRIO dos militantes socialistas!
Após perder o debate com Renato Sampaio, JL Carneiro decide enviar uma mensagem a dizer o que cada militante deve pensar desse debate… não vá eles lembrarem-se de pensar pela sua própria cabeça… o que poria em causa as ambições de JL Caneiro que afinal está cheio de ESPERANÇA de, à custa de uma campanha que deveria envergonhar qualquer democrata, assumir a liderança da distrital do PS Porto
Pelos vistos “PORTO DE ESPERANÇA” significa nada mais nada menos que um projecto de ambição pessoal

5 de outubro de 2010

OS "PALADINOS" DA DEMOCRACIA E DA MUDANÇA [PARA PIOR!] NO PS PORTO

A campanha de José Luís Carneiro para a distrital do Porto do PS, tem recorrido a truques eleitoralistas já muito conhecidos de um observador mais atento…


Começou por atacar tudo e todos, pôs em causa os estatutos, vitimizou-se e, mais recentemente, redescobriu o slogan, muito querido da direita, do MEDO.
Quem não se lembra da campanha da Ferreira Leite sobre um país paralisado pelo medo?... pois até este argumento foi usado na campanha de JLC, numa tentativa de ganhar dividendos políticos… fazendo pensar que há uma nova geração de políticos que se só leram Maquiavel… e para os quais “os fins justificavam os meios” e a ÉTICA na politica é um estorvo.
Tenho recebido, quase diariamente, mensagens para o telemóvel da campanha de JLC… mas a última é o que eu considero um insulto à inteligência de qualquer militante do PS… para além de na minha opinião ser de uma enorme desonestidade intelectual.
Como podem ler na imagem, a candidatura de José Luís Carneiro afirma: “A outra candidatura não conseguiu apresentar listas na Secção da EDP, na Secção de S. Mamede do Coroado e na Concelhia de Baião”… nesta mensagem fica clara que a campanha não é feita em nome dos valores e que a imagem de MEDO, a viver-se, é em Baião, onde o candidato é presidente de câmara. Se efectivamente a candidatura de JLC estivesse imbuída do espírito democrático, o facto de a “outra” candidatura não ter lista nunca poderia ser motivo de regozijo mas antes motivo de reflexão…
Será que em Baião não vai haver votos na outra candidatura?... ou será que os militantes de Baião tiveram medo do José Luís Carneiro?...
Confesso que não acredito que JLC se proponha mudar a distrital do PS Porto para melhor…
Pode mudar, mas para pior.
Não ocorreu ao candidato que ao enviar esta mensagem aos militantes do PS, estava a dar provas que é em Baião onde parece haver défice democrático?...
Claro que terá ocorrido!... Mas não resistiu a aproveitar-se para se vangloriar e, ao faze-lo, dá sinais evidentes que a democracia e a pluralidade não é o seu forte. Maquiavel não queria a ÉTICA envolvida com a política e infelizmente, há admiradores das suas teorias dentro do PS… Perde o PS e perde a democracia com políticos destes.
.

À MOCIDADE DAS ESCOLAS


.

APRESENTAÇÃO DO LIVRO "DIÁLOGOS, EPÍSTOLAS INERTES" DE VICENTE FERREIRA DA SILVA

.


4 de outubro de 2010

O QUE O ESTADO PAGA PELA CAMPANHA ELEITORAL PARA AS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS

         


O Estado Português subvenciona com 10 000 IAS as eleições presidenciais num total de 3 859 000€.

772 000€ (20% de 3 859 000€) é distribuído em partes iguais pelos candidatos que obtiveram 5% dos votos expressos.

3 087 200€ (80% de 3 859 000) é distribuído pelos candidatos na proporção dos votos obtidos.

Nota: os candidatos que não obtiverem 5% dos votos expressos não têm direito a subvenção.
.

12 de setembro de 2010

10 de setembro de 2010

DEUS NO BANCO DOS RÉUS

UMA CARTA DE ABRAHAM LINCOLN AO PROFESSOR DO SEU FILHO

"Caro professor, ele terá de aprender que nem todos os homens são justos, nem todos são verdadeiros, mas por favor diga-lhe que, por cada vilão há um herói, que por cada egoísta, há também um líder dedicado, ensine-lhe por favor que por cada inimigo haverá também um amigo, ensine-lhe que mais vale uma moeda ganha que uma moeda encontrada, ensine-o a perder mas também a saber gozar da vitória, afaste-o da inveja e dê-lhe a conhecer a alegria profunda do sorriso silencioso, faça-o maravilhar-se com os livros, mas deixe-o também perder-se com os pássaros do céu, as flores do campo, os montes e os vales.
Nas brincadeiras com os amigos, explique-lhe que a derrota honrosa vale mais que a vitória vergonhosa, ensine-o a acreditar em si, mesmo se sozinho contra todos. Ensine-o a ser gentil com os gentis e duro com os duros, ensine-o a nunca entrar no comboio simplesmente porque os outros também entraram.
Ensine-o a ouvir a todos, mas, na hora da verdade, a decidir sozinho, ensine-o a rir quando esta triste e explique-lhe que por vezes os homens também choram. Ensine-o a ignorar as multidões que reclamam sangue e a lutar só contra todos, se ele achar que tem razão.
Trate-o bem, mas não o mime, pois só o teste do fogo faz o verdadeiro aço, deixe-o ter a coragem de ser impaciente e a paciência de ser corajoso.
Transmita-lhe uma fé sublime no Criador e fé também em si, pois só assim poderá ter fé nos homens.
Eu sei que estou a pedir muito, mas veja que pode fazer, caro professor."

Abraham Lincoln, 1830

ANTÓNIO DAMÁSIO

Desde o seu primeiro livro que considero António Damásio um autor fundamental.
.



















 
O reputado neurocientista, autor de obras como O Erro de Descartes, O Sentimento de Si e Ao Encontro de Espinosa, propõe neste livro um debate sobre o tema dos sentimentos e da construção da consciência, demonstrando a existência de uma ponte entre a biologia e a cultura. 
 

REGRESSO

9 de setembro de 2010

PEDIDO DE DESCULPAS OU O REITERAR DOS INSULTOS?


.
O Carlos Alberto Ferreira apresentou um pedido formal de desculpas por saber que iam ser accionados os mecanismos judiciais em virtude das ofensas com que me presenteou, atacando a minha honra. 
De maneira formal venho através deste post apresentar o seguinte esclarecimento público e apresentar as respectivas desculpas:
1 - A Srª dª Otilia Gradim sentiu-se ofendida com um post por mim escrito no blogue “http://cadsf.blogspot.com”;
2 - Não sendo minha a intenção escrever sobre o caracter ou fazer qualquer avaliação do comportamento moral da srª Otilia, compreendo que fruto da violenta troca de comentários, e escritos, que ocorreram entre ambos tal post, tenha dado azo a que a senhora se tenha sentido directamente atingida;
3 - O referido post foi escrito por mim, num momento de grande perturbação emocional, fruto de um estado de alma alterado e  exaltado com uma situação referente à minha intimidade que vi invadida;
4 - Em lugar algum do mesmo post, está referido o nome da Srª dª Otilia Gradim, tratando-se apenas de um desabafo em jeito de resposta a um amigo que me pedia calma no meu sentimento de exaltação;
5 - No entanto, e para que não subsistam dúvidas de qualquer espécie, serve este post para pública e definitivamente apresentar  um pedido público e formal de desculpas, à Srª dª Otilia Gradim, por esta se ter sentido atingida pelo que está escrito em: “ http://cadsf.blogspot.com/2010/08/joaquim-paulo-obrigado-pelo-cuidado-mas.html ”;
6 - De facto e me penitencio por isto, que poderia ter dito a mesma coisa de maneira mais educada do que a forma com que infelizmente escolhi e me ocorreu.
Aproveito também para apresentar as minhas mais sinceras desculpas pelo mal estar que possa ter causado aos meus amigos, e aos leitores deste pequeno blogue e aqueles que embora nem colegas e nem amigos participam deste grupo de abnegados leitores.
Estando numa semana de profundas mudanças na minha vida, dou por findo esta triste história. Outros assuntos de ordem familiar necessitam de um grande acompanhamento e envolvimento da minha parte. Trata-se de algo que pensava-mos ter ultrapassado, mas que parece ter voltado para nos atormentar novamente os dias.
Nota final.  Este espaço está aberto à Srª dª Otília Gradim, como sempre esteve desde o tempo em que desta equipa fez parte e dele se excluiu por vontade própria, para publicar o que lhe convir dizer sobre o assunto, com a promessa de que será publicado na integra.

Carlos Alberto Ferreira

Em virtude de entender que o pedido de desculpas ou estava mal redigido ou era um golpe de teatro para evitar o processo Judicial pedi o seguinte esclarecimento

“Antes de responder ao seu Pedido formal de desculpas, e de decidir se procedo criminal e civilmente conta si, há um ponto que convém que esclareça definitivamente, sem recorrer a nenhum tipo subterfúgio ou ambiguidade.
No post sobre cujo conteúdo vem agora apresentar este Pedido formal de desculpas escreveu sobre mim que “Não será UMA SOPEIRA, PARA TODO O SERVIÇO, E DE MAU PORTE MORAL, que me derruba.”
Ora esta frase é insultuosa e criminosa ... e o que ela significa, todos nós todos sabemos! …
Mas, quando agora escreve no pedido de desculpas: “De facto e me penitencio por isto, que PODERIA TER DITO A MESMA COISA DE MANEIRA MAIS EDUCADA do que a forma com que infelizmente escolhi e me ocorreu.” está a reiterar o insulto, que mantém, apenas o camuflando num pedido de desculpa?
Explique-se pois de uma vez por todas.”

A resposta foi esta:

“Exma Srª.

Como afirmei e vou cumprir sempre, tudo o que lhe aprouver escrever sobre este assunto será publicado, sem qualquer tipo de moderação de comentários.
Conforme tive oportunidade de escrever no Pedido Formal de Desculpas, a terminologia escolhida e à qual V. Exa faz menção, não é efectivamente a mais educada e feliz.
Poderia escrever o mesmo de outra maneira?
Efectivamente sim. Deveria ter deixado de uma vez por todas evidente e claro que era minha obrigação ter colocado de uma vez por todas um ponto final em diversos assuntos, seguir em frente e continuar a trabalhar nos objectivos que tracei para mim enquanto Coordenador neste mandato.
Por esse facto me penitencio. Este tipo de terminologia não está à altura das funções que actualmente desempenho e deveriam obrigar-me a maior comedimento, no tipo de reacções que tive ou venha a ter, face a qualquer tipo de registo que sobre a minha pessoa venha a aparecer em qualquer lado.”

Constato que, perante o que é afirmado e reafirmado pelo Carlos Alberto Ferreira, tanto no “pedido formal de desculpas”  (“... poderia ter dito a mesma coisa de maneira mais educada do que a forma com que infelizmente escolhi e me ocorreu...”) como na resposta ao pedido de esclarecimento que lhe dirigi ( “...Poderia escrever o mesmo de outra maneira? Efectivamente sim...)  verifico este só considera ter errado na forma e não no conteúdo daquilo que escreveu.
Ora o que ele escreveu só é crime pelo seu conteúdo.
Aliás confesso que estava terrivelmente curiosa para saber qual seria a outra forma de se poder dizer: “Não será UMA SOPEIRA, PARA TODO O SERVIÇO, E DE MAU PORTE MORAL, que me derruba.” Sem que se fosse atingida e vilipendiada a honra da visada?
Mas isso, o Carlos Alberto Ferreira não quis ou não pôde explicar...
Mão me resta pois alternativa que não seja entregar este assunto à alçada judicial, até porque não posso aceitar que o facto de o autor ter problemas possa servir de desculpa ou justificação para o que escreveu e para as ofensas com que me atingiu.

ARY DOS SANTOS



FRANCISCO FANHAIS



8 de setembro de 2010

PRINCÍPIO DA BOA FÉ


O comunicado da Comissão Politica Concelhia do PSD de Matosinhos suscita-me alguns comentários.

Tem o PSD razão ou legitimidade para questionar a cedência do espaço em causa por parte do Presidente da Câmara para a realização de um comício do PS? A mim afigura-se que o PSD enquanto partido político tem toda a legitimidade de o fazer… mas este tipo de comunicado não me pareceu que fosse a melhor forma de o fazer!
Se creio que o PSD tem toda a legitimidade para, enquanto partido da oposição, questionar o Presidente de Câmara pela cedência do espaço… não me parece que o PSD tenha qualquer legitimidade para vir falar em nome de um “conjunto de moradores que, tendo pago a construção de um espaço ajardinado, de que ainda não puderam usufruir por se encontrar fechado”. Desde de logo porque o jardim não é um jardim privado é antes um jardim público e para usufruto de todos os cidadãos… logo, não se percebe que o PSD assuma como uma causa política os interesses privados de um conjunto de moradores em vez de defender os interesses de todos os cidadãos. Não creio que o PSD se queira transformar num grupo de gestão de condomínios… ora este comunicado é próprio para uma empresa de prestação desse tipo de serviços.
Ao ler no comunicado “o Dr. Guilherme Pinto, tem a distinta lata, de vir dizer que a audiência que havia marcado com representantes desses moradores poderá não se realizar por estes terem mostrado a sua indignação perante este tipo de comportamentos da Câmara Municipal de Matosinhos e do PS.” não posso deixar de me surpreender com tais afirmações e sou levada a crer que uma das partes (neste caso os moradores) não agiram de acordo com o que é plasmado no Código de Procedimento Administrativo
Artigo 6.º-A

Princípio da boa fé
1 - No exercício da actividade administrativa e em todas as suas formas e fases, a Administração Pública e os particulares devem agir e relacionar-se segundo as regras da boa fé.
2 - No cumprimento do disposto nos números anteriores, devem ponderar-se os valores fundamentais do direito, relevantes em face das situações consideradas, e, em especial:
a) A confiança suscitada na contraparte pela actuação em causa;
b) O objectivo a alcançar com a actuação empreendida.

Salvo melhor opinião, esses moradores, ao recorrerem às “formas de luta” a que recorreram para manifestar a sua “indignação “ pela decisão da Câmara de autorizar o comício do PS naquele espaço público, prejudicaram o seu interesse na audiência que teriam solicitado ao Presidente da Câmara, pois o recurso ao insulto contraditou precisamente o Princípio da boa fé que os deveria nortear no seu relacionamento com a Câmara Municipal e o seu Presidente... 
Assim, e de acordo com o que está legislado, é legitimo acusar o Presidente da Câmara de ”desfaçatez” e “distinta lata”?... na minha opinião não é legitimo!
A pior coisa que acontece em Matosinhos é ter uma oposição ao nível que tem!...
Para que a democracia funcione precisamos de uma oposição credível, que não recorra à linguagem de uma empresa de gestão de condomínio nem venha tentar defender os ilegítimos interesses de um qualquer condomínio sobre um espaço que é público..
Para acabar o meu comentário não posso deixar de dizer que o direito ao protesto é legítimo, mas que o insulto não só não é legítimo como deve ter consequências para quem a ele recorre. Alterar a frase de  “circo já há só faltam palhaços”
para “já há palhaços” quando chegam os dirigentes políticos nacionais que exercem funções de soberania pela escolha directa do povo português, mais que um protesto, é um insulto.

5 de setembro de 2010

25 de agosto de 2010

MENSAGEM


SE VÃO FALAR MAL DE MIM, CHAMEM-ME!... 
SEI COISAS HORRÍVEIS A MEU RESPEITO!!!
.

19 de agosto de 2010

CHAPELADAS E CHAPELEIROS



Todos os códigos estabelecem prazos e alguns até dizem como se faz a contagem desses prazos. Todas as Leis dizem a partir de quando entram em vigor. Nos estatutos dos partidos políticos também podem ser estabelecidos prazos para que se adquira o direito de votar e ser eleito. É o caso do Partido Socialista que estabelece um prazo de seis meses após ser admitido como militante. Assim quem entra para o PS deve conhecer os seus estatutos e saberá que só poderá votar e ser eleito, para qualquer órgão do PS, após ter decorrido um prazo de seis meses sobre a data da sua admissão, data essa que aparece sempre no seu cartão de militante.
.
Neste momento, dois candidatos disputam a Federação Distrital do Porto: Renato Sampaio, que termina o mandato anterior, e o José Carneiro que é presidente da CMB.
.
Numa disputa eleitoral é normal que os candidatos façam a sua campanha e que expliquem ao que vêm. Até aqui nada de novo. É o procedimento usual em qualquer partido democrático. O que já não é aceitável, é o recurso a este tipo de estratégia que está a ser usada, pela qual se procura por em causa a honorabilidade dos candidatos. Esta estratégia, que já é velha, está a ser usada e é fratricida. Não percebi se o responsável por esta estratégia a que assistimos é o José Carneiro ou se são alguns dos seus apoiantes que, por oportunismo, despeito, ou para parecer que existem politicamente, a ela recorrem, mesmo que façam figuras ridículas e exponham a sua falta de formação… mas é preciso que se mostrem mais papistas que o papa para agradar ao seu candidato, na procura de garantir, para o futuro, uma melhor posição nas listas ou no grupo de influencia. Só assim se entende este e este post’s.
.
Há alguma razão que fundamente estes post’s?... Não! Na verdade quem sabe o que se passa facilmente percebe que os post’s só vêm expor e desacreditar o seu autor. O autor foi candidato à coordenação da secção de Leça do Balio contra um outro militante apoiado pela actual federação e perdeu… em vez de perceber que em democracia é tão natural perder como ganhar eleições… ficou ressabiado! 
.
Os estatutos foram respeitados e há um determinado número de militantes que ainda não têm direito a voto nestas eleições internas. Só que quem sabe como funciona o caciquismo e o arrebanhamento de votos facilmente percebe que alguém tentou esta “chapelada”, como o autor lhe chama, mas falhou. Assim, ficaram os mais informados a saber que foram inscritos militantes para votarem de acordo com o pretendido pelos seus proponentes… mas que a “chapelada” falhou. 
.
Mais valia estarem calados e não continuarem a conspurcar e a fragilizar a candidatura do José Carneiro com estes processos que servem os seus interesses pessoais de protagonismo mas não dignificam o candidato.
.