4 de junho de 2009

E AO SR PROCURADOR NÃO VAI ACONTEACER NADA?


Procurador arrisca pena de demissão

Almeida Pereira, o procurador que durante anos foi o coordenador do crime violento no DIAP do Porto e que chegou a ser indicado para dirigir a polícia Judiciária na mesma cidade, arrisca agora a pena de demissão, na sequência de vários processos disciplinares que lhe foram instaurados.
O primeiro processo, e único a ter proposta, foi este mês remetido novamente ao instrutor, pela secção disciplinar do Conselho Superior do Ministério Público, para alterar a sanção sugerida inicialmente, transferência, para inactividade por dois anos.
O magistrado foi alvo de uma investigação devido a atrasos nos inquéritos que tutelou, averiguação que foi convertida em processo disciplinar. Outros entretanto foram abertos e o CM sabe que os instrutores admitem a pena de demissão ou de aposentação compulsiva. Há ainda a sugestão de conversão dos casos em processos-crime.
Estão em causa diversas situações. Num dos casos verificados pelos instrutores do MP averiguou--se que Almeida Pereira avocou, em 1999, 14 processos de negligência médica. Eram todas as investigações a este crime que corriam no departamento, tendo Almeida Pereira chamado a si os inquéritos, enquanto coordenador do DIAP.
Anos depois, nenhum dos processos foi dado como concluído. A inspecção feita agora ao magistrado permitiu verificar que em 2006 Almeida Pereira reportou à PJ do Porto um assalto ao seu gabinete. Disse, na altura, que os processos tinham sido roubados. Nada foi recuperado e as investigações morreram.
Outro caso sob investigação é o processo que teve Narciso Miranda como arguido. O candidato à Câmara de Matosinhos foi investigado por corrupção e o polémico despacho de arquivamento foi assinado por Almeida Pereira. O procurador transitou entretanto para o DIAP do Porto e levou o processo. Disse depois que o mesmo foi roubado.



6 comentários:

Teresa Calisto disse...

Esses "roubos" de processos, parece a desculpa d' "o cão comeu-me o trabalho de casa". Há coisas que não deixam saudades...

Anónimo disse...

Narciso Miranda foi arguido?

A sua gritante ignorância nem sequer lhe permite perceber que um arguido, para o ser, precisa de ser constituído como tal?

Vá brincando enquanto aqui a malta do Direito vai pensando na cartinha com a queixa contra a Dra Otília Reisinho que vai entrar no tribunal de Matosinhos.

Assim que possa envio-lhe o modelo que para a semana vamos entregar no tribunal judicial da comarca de matosinhos

Cumprimentos

Artur Lobredo

otília gradim reisinho disse...

Caro anónimo que assina Artur Lobredo
O meu amigo é que mostra uma enorme ignorância sobre a justiça Portuguesa… mas não se lhe deve exigir mais…
Um pequeno esclarecimento não sou drª (Deus me livre de semelhante coisa!) sou só Otília.
Mande o modelo que quiser já que eu adoro tribunais!... e não me assusta ser arguida… e ser arguido é um direito de qualquer cidadão, já que é para sua própria defesa que é constituído arguido quando é acusado…
Mas já agora veja se aprende alguma coisinha… o que está escrito é a transcrição de uma notícia a que o sr Nunca Mais pode responder usando o direito de resposta.
Mas, se o processo desapareceu, vai ter dificuldade de provar o que quer que seja ;))
Não brinque comigo e não diga “a malta do Direito vai pensando na cartinha com a queixa” porque se aí a malta de direito souber qualquer coisinha de direito percebe que não cometi qualquer crime ao transcrever uma notícia;))
O sr. Nunca Mais pode dizer até que não foi arguido… então eu pergunto: em que qualidade respondeu ele no tal processo??

otília gradim reisinho disse...

Teresa,

Confesso que não sei como se recompensa um cidadão que é vitima de negligencia médica e o seu processo desaparece ;)

E ainda tenho mais dificuldade de entender como um processo que foi arquivado... logo passa a ser público... pode ser roubado... terá sido roubado do arquivo???

Anónimo disse...

D. Otília, os ignorantes são atrevidos.
O sr. artur lombrigas é um cómico.
Deve ser mais um do Porto ou arredores que vem para Matosinhos dar palpites, já que na terra dele ninguém lhe liga.
Bem podia dedicar-se ao futebol, que é o passatempo dos que passam a voida á espera da morte.
Zé da Tasca

otília gradim disse...

Zé da Tasca,

Gostei especialmente da referência "os ignorantes são atrevidos"

Mas o comentário do sr Artur Lombrigas deixou-me especialmente preocupada… já que suspeito que o único crime de que a sua mente tortuosa me poderá atribuir é o de ter roubado o processo ao sr procurador… com o objectivo de denegrir a imagem do sr Nunca Mais…